Projeto oferece gratuitamente 10 oficinas on-line em mediação de leitura

A partir da revolução tecnológica, o comportamento e a maneira como as pessoas se comunicam e adquirem conhecimentos passaram por mudanças profundas nos últimos anos. Neste contexto, as bibliotecas podem ser mais do que um espaço de silêncio. Em sintonia com a evolução da sociedade, esses equipamentos culturais começam a se renovar, adquirindo maior protagonismo no incentivo à transformação social de suas comunidades, ao mesmo tempo em que contribuem para a formação de novos leitores.

Com o objetivo de propiciar a formação em mediação de leitura, a organização social Recode, voltada ao empoderamento digital, e o Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio (iiLer), criaram em parceria as Oficinas em Mediação de Leitura. Pela primeira vez em formato 100% on-line, o projeto visa formar bibliotecários, professores, educadores sociais, estudantes e profissionais que atuam em bibliotecas públicas, escolares, comunitárias e prisionais. As inscrições são gratuitas e os interessados já podem se inscrever para o primeiro módulo, que começa no dia 05/02.

Ao todo, o projeto disponibilizará gratuitamente dez oficinas que serão oferecidas a cada mês pela plataforma digital da Recode. A expectativa é capacitar 100 profissionais e estudantes por oficina. Cada participante receberá, ao final do módulo cursado, um certificado com o selo iiLer / Cátedra UNESCO de Leitura PUC-Rio e, para quem concluir as dez oficinas, será emitida uma certificação especial de formação em Mediação de Leitura. Para se inscrever, basta entrar na plataforma da Recode, acessando o link plataforma.recode.org.br.

Para Gilda Carvalho, vice-diretora do Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio, ao atuar como mediador de leitura, o bibliotecário estará apto a tornar a biblioteca um espaço fomentador da cultura e da leitura, ou seja, um espaço vivo e dinâmico que atenda às demandas de seus usuários e acolha atividades que vão além da pesquisa e do empréstimos de livros. “Acreditamos que bibliotecas que atuam dessa forma podem integrar e transformar as comunidades onde estão inseridas, contribuindo não só para a formação de leitores, mas, sobretudo, para a formação de cidadãos”, explica.

A carga horária de cada oficina será de 10 horas, totalizando 100 horas para a formação completa. Para que os participantes possam esclarecer dúvidas e buscar informações complementares, haverá um webinar (conferência virtual) entre os participantes do curso e o professor responsável por cada oficina, após sua realização. Segundo Renata Costa, secretária-executiva do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) e gerente do programa de Bibliotecas da Recode, o percurso das oficinas foi pensado como uma formação continuada para as 200 bibliotecas apoiadas pela Recode e contribui com um dos eixos principais do Plano Nacional do Livro e Leitura, voltado à formação de profissionais que atuam nesses espaços. “Não basta ter uma biblioteca pública; é preciso ter um profissional que faça a ponte entre o leitor e os livros e, portanto, é preciso ir além da formação técnica”, aponta.

Cada oficina pretende abordar um dos aspectos que compõem a formação, em temas como: Novas Tecnologias; Contação de Histórias; A Biblioteca como Espaço de Leitura; Mediação de leitura; Literatura infantojuvenil; Práticas leitoras; Leitura e Relações de Trabalho; O Sentido da Leitura e a Leitura dos Sentidos; Dinamização de Acervos e Biblioterapia.

“Ao cocriar esse projeto com o iiLer, da PUC-Rio, buscamos contribuir com o empoderamento digital desses agentes de transformação que se mostram cada vez mais dispostos a aproveitar o potencial da tecnologia para adquirir conhecimento e transformar suas comunidades. O formato inédito dos cursos on-line poderá estimular novos leitores e ainda incentivar a leitura digital em todo o país”, complementa Rodrigo Baggio, fundador da Recode.

Serviço

Curso: Oficinas de Mediação em Leitura (formato 100% on-line).

Realizadores: Cátedra de Leitura – Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio (iiLER) (parceria com a Unesco).

Início das aulas: 05/02/2019.

Público-alvo: professores, educadores sociais, estudantes e profissionais que atuam em bibliotecas públicas, escolares, comunitárias e prisionais.

Inscrições: gratuitas.  Para se inscrever, basta acessar plataforma.recode.org.br.

Corpo docente 

  • Francisco Camêlo é pesquisador do iiLer e da Cátedra UNESCO de Leitura PUC-Rio. Integra o Grupo de Estudos em Literatura Infantil e Juvenil (GELIJ/CNPq). Atualmente, cursa o Doutorado em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio, com pesquisa sobre Walter Benjamin.
  • Maria Clara Cavalcanti, psicóloga, especialista em Literatura Infantil e Juvenil pela UFF (Universidade Federal Fluminense) e em Leitura: Teoria e Práticas pela PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica). Integra o Grupo de Estudos em Literatura Infantil e Juvenil (GELIJ/CNPq), é contadora de histórias do Confabulando contadores de histórias e autora de livros infantis, juvenis e adultos.
  • Maria Helena Ribeiro dos Santos, Pedagoga, Especialista em Educação da Prefeitura, com Pós-Graduação Lato Sensu em Metodologia Didática e Psicologia da Educação, com especialização em Didática da Comunicação, participa da Equipe de Pesquisadores do Instituto Interdisciplinar de Leitura PUC-Rio. Participou como especialista da FNLIJ, do PROLER – Biblioteca Nacional, e na Coordenação do Leia Brasil – Programa de Leitura da Petrobras. Deu Apoio Técnico ao Programa de Leitura do SESC Rio e à Coordenação do Projeto Agentes de Leitura, uma parceria do MinC com a Cátedra UNESCO da PUC – Rio.
  • Nanci G. Nóbrega, Pós-Doutorado em Letras (PUC-Rio); Pesquisadora e Consultora em Literatura Infantil e Bibliotecas. Coordenadora e professora de Grupos de Biblioterapia do iiLER – Instituto Interdisciplicar de Leitura/Cátedra UNESCO de Leitura. Apaixonada por narrativas e bruxas.
  • Viviane Moreira Graduada em Teologia pela PUC-Rio; Mestre em Teologia pela mesma Universidade. Técnica em webdesigner, trabalha em projetos de inclusão digital e implementação de métodos de utilização de TICs (Tecnologia de Informação e Comunicação) em comunidades carentes. Atualmente é Analista do Setor de Comunicação e Criação Audiovisual do iiLer e da Cátedra UNESCO de Leitura, Editora Assistente da Revista LER e Assessora Editorial da Revista Cátedra Digital.
  • Gilda Carvalho, formada em Administração de Empresas e em Comunicação Social, Mestre em Literatura Brasileira, coordenadora do Programa Destrava Línguas de formação de leitores para funcionários da PUC-Rio e Vice-diretora do Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio.
  • Thatty de Aguiar Castello Branco, Doutora em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, Mestre em Letras pela mesma instituição, Pós-Graduada em Docência do Ensino Superior, Graduada em Letras (UERJ) e Direito (UFRJ). Pesquisadora de Crítica Literária, Literatura Infantil e Juvenil e Formação do Leitor, Colaboradora da Cátedra UNESCO de Leitura/PUC-Rio, Docente do CCE/PUC (curso “Clássicos de Literatura Infantil e Juvenil”) desde 2015, atua no Projeto Destrava Línguas (programa de formação do leitor e promoção da leitura para funcionários da PUC-Rio, coordenado pela Cátedra UNESCO de Leitura e pela Superintendência de Recursos Humanos da PUC-Rio) e como Mediadora Pedagógica e Orientadora em cursos de pós-graduação da Universidade Federal Fluminense (UFF – Lante) e da Coordenação Central de Educação a Distância da PUC-Rio (CCEAD/PUC-Rio).
  • Alessandro Rocha, Diretor do Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio. Graduado em filosofia, mestre em humanidades e cultura, mestre em teologia,doutor em teologia, pós doutor em Letras.

Sobre a Recode

A Recode é uma organização social que promove o empoderamento digital de jovens a partir da mobilização de uma rede de instituições. Por meio da criação e disseminação de metodologias de formação empreendedora e do uso de ferramentas digitais, busca ampliar o impacto de facilitadores em comunidades, escolas e bibliotecas e estimular o uso ético, consciente e cidadão da tecnologia. Assim, empodera indivíduos para reprogramar realidades. Com 23 anos de atuação, a Recode está presente em 7 países com 600 centros de empoderamento digital e já alcançou mais de 1,7 milhão de pessoas.