Livros acessíveis e inclusivos: projeto Diversos disponibiliza livros infanto-juvenis

Quatro livros infanto-juvenis estão disponíveis em formato acessível e inclusivo no projeto Diversos – Livros Acessíveis e Inclusivos. A iniciativa é da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, por meio do Centro de Tecnologia e Inovação (CTI), em parceria com a Mais Diferenças.

A Mais Diferenças, fundada em dezembro de 2005, é uma associação qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) pelo Ministério da Justiça e como Entidade Promotora de Direitos Humanos, pela Secretaria de Justiça do Estado de São Paulo, e tem como foco de atuação Educação e Cultura Inclusivas.

O Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) foi parceiro da Mais Diferenças em projetos como Acessibilidade em Bibliotecas Públicas, onde selecionou dez bibliotecas públicas brasileiras para a realização de qualificação profissional, melhorias no acervo e instalação de novos equipamentos; e na realização do 2ª Concurso de Estágios Internacionais 2017, cujo tema abordado foi “Acessibilidade, diversidade e inclusão em bibliotecas públicas” e que ocorreu em novembro de 2017 no estado de São Paulo.

“O discurso do Urso”, de Julio Cortázar, “O menino no espelho”, de Fernando Sabino, “Uma nova amiga”, de Lia Crespo, e “Serei Sereia?”, de Kely de Castro, são as obras oferecidas pelo projeto Diversos. Alguns desses títulos fazem parte do Programa Nacional de Biblioteca na Escola (PNBE).

“Os livros publicados, tendo como premissa os princípios do Desenho Universal, permitem que não somente as pessoas com diferentes deficiências tenham acesso à leitura, mas também aquelas com dificuldades de acesso ao texto escrito, como as pessoas com baixo letramento, os estrangeiros e o público da Educação de Jovens e Adultos”, destaca Carla Mauch, coordenadora da Mais Diferenças.

O objetivo do projeto é que crianças e adolescentes, com e sem deficiência, possam escutar a história contada; ouvir os sons que incentivam a imaginação; ler o texto escrito na tela; ver as imagens que estão nos livros e escutar suas descrições. Além da possibilidade de acessá-la traduzida em Libras, segunda língua oficial país e muito utilizada pela comunidade surda. Alguns livros do projeto também estão disponíveis em Leitura Fácil – formato que segue recomendações internacionais em relação à linguagem, ao conteúdo e à forma que auxiliam sua compreensão.

“Há alguns anos começamos a dialogar com a Mais Diferenças para termos uma iniciativa como esta: um único livro que pudesse servir a todas as pessoas com e sem deficiência. Queremos que os caminhos sejam os mesmos; pela rua que passa o andante passa a cadeira de rodas; pelo transporte que leva a pessoa com deficiência; e no aprendizado, na cultura, que ela também se valha de um único instrumento”, diz Linamara Rizzo Battistella, secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

As obras podem ser acessadas de forma gratuita no site do CTI. O projeto DIVERSOS – Livros Acessíveis e Inclusivos prevê ainda o lançamento de novos títulos em múltiplos formatos acessíveis.